Patrocínio

Patrocínio

segunda-feira, abril 18

Por 367 a Camara dos Deputados aprova Relatório contrário à Presidente Dilma

O relatório foi aprovado com 25 votos além do mínimo necessário
Após mais de 6 horas de votação, 511 Deputados aprovaram por uma ampla maioria o Relatório do Deputado Jovair Arantes ( PSD-GO ). Ao final 367 deputados ( 25 acima dos 342 necessários ) disseram SIM e deram ao Senado a prerrogativa de Julgar e, eventualmente, Condenar a Presidente Dilma Vana Rousseff. O Governo obteve 137 votos, muito abaixo do que diziam ter seus Assessores, outros 7 Deputados se abstiveram de votar ( sobretudo do PDT e do PR ) e ainda foram verificadas 2 ausências.

A votação teve início por Roraima e na sequencia foi o Rio Grande do Sul e percorreu todo o Brasil. Quando votava a bancada de Minas Gerais já estava claro para todos que o Processo seria aprovado. Até mesmo o voto dos Governistas já demonstravam a apatia que a derrota certa traria. A Bahia poderia ter resolvido a questão, mas um grande número de votos a favor do Governo impediu isso. A Paraíba trouxe uma surpresa e tanto nos seus votos e coube ao Deputado Bruno Araújo, do PSDB e líder da Oposição, dar o voto decisivo. Ele ficou por demais emocionado e deu um voto com palavras fortes.

O Governo Dilma perdeu de uma forma muito dura. Perder, por qualquer diferença, já seria desastroso, mas não conseguir somar sequer 160 votos é tenebroso. E olhem que teve compra de votos, segundo alguns até com dinheiro em espécie. E o que o PT conseguiu foi 137 votos ou menos de um quarto da Câmara. Quem tem tao pouco apoio não tem mais o que fazer no Palácio do Planalto.

E agora, o que acontece? Bom, Dilma ainda é a Presidente. Ela só deixa o Palácio do Planalto ( e também o da Alvorada ) quando o Senado ratificar a decisão da Câmara. Quando isso acontecer ela será afastada por até 180 dias ( seis meses ) enquanto o Senado julga Dilma, sob a Presidência do Ricardo Levandowski, que é o atual Presidente do Supremo Tribunal Federal. O Vice-Presidente assume interinamente a Presidência, com o Presidente da Camara ( sim, ele mesmo, Eduardo Cunha ) passa a ser o Vice-Presidente. Para ratificar a saída de Dilma, são necessários 41 votos e algumas contagens dão conta que existam 52 votos contrários à Dilma. 

Se na hora de votar o relatório final, existirem 55 votos ela perde o mandato e o Vice-Presidente Michel Temer assume em definitivo e, em tese, completará o mandato até 2018. Em tese porque ele ainda irá enfrentar Processo no TSE pelo fato da Chapa ter usado dinheiro desviado da Petrobrás. Dilma volta ao poder se conseguir 28 votos ou mais. 

Agora, imaginem como ela voltaria ao poder após 6 meses de um Governo Temer... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário