Patrocínio

Patrocínio

domingo, agosto 28

Dilma Rousseff irá amanhã ao Senado em sua última tentativa de manter seu madato

Eleita em 2010, Dilma chegou a ter mais de 70% de aprovação...
mas foi afastada menos de 6 anos depois. O que deu errado?
Impopularidade. Algo que - em maior ou menor grau - todos os presidentes vivenciam em algum momento de seus mandatos. Mas pouquíssimos conseguiram o que Dilma Rousseff conseguiu: ir do máximo de popularidade na história para um dos mais baixos índices de todos os tempos. E ela fez isso entre o início de 2013 ( pico mais alto ) até o fim de Abril ( polo mais baixo ), antes de ser afastada pelo Processo de Impeachment, o mesmo do qual irá se defender amanhã no Senado.

Mas como deu-se isso, em tão pouco tempo? Vários são os fatores que levaram a essa situação, mas basicamente eu resumiria em apenas três:
  • Política Econômica - Desde 2008 que o Brasil abandonara o rigor fiscal, inicialmente de modo acertado para superar a crise mundial causada pelo caos nos EUA. Mas o remédio foi usado por tempo além do necessário. Isso, por si só, trouxe um desajuste das Contas Públicas que, no começo de 2011 já era bem evidente. Eleita, Dilma nada fez para corrigir o problema, pelo contrário: investiu em desonerações de poucos setores, diminuindo as receitas. Além disso manteve o crédito em alta via BNDES e Bancos Públicos, aumentando a dívida pública com juros altos e repassando para os Bancos com juros muito mais baixos;
  • Falta de tato político - Dilma é uma técnica, não política. Até quem a defende com unhas e dentes, sabe bem disso. Ela é dada a arroubos que cria descontentamentos. Além disso ela, inegavelmente, fez escolhas ruins para o Ministério. Colocar Aluizio Mercadante para negociar com o Congresso foi apenas uma delas. Além disso, ela herdou uma estrutura de apoios que só seria mantida com mais e mais cargos. Deu certo por um pouco tempo, mas era certo que um dia desmoronaria;
  • Operação Lava Jato - Até agora, Dilma não está diretamente ligada com a corrupção, mas existem várias investigações que poderão - eventualmente - até chegar a ela. Mas a Operação foi aos poucos minando a popularidade de Dilma. Quando o líder do Governo Delcício do Amaral foi preso, o golpe foi imenso. As prisões dos Tesoureiros e pessoas ligadas ao PT idem. A popularidade foi sendo dragada aos poucos.
Dilma Rousseff é a segunda Presidente a ser afastada, ao lado de Collor de Mello. Amanhã ela irá ao Senado para defender seu mandato, que para muitos já terminou quando foi afastadas. Segundo contas mais favoráveis, Dilma só deve ter 25 votos, de 28 necessários. Nas contas ruins, ela poderá ter apenas 20 votos.

A Sessão de amanhã no Senado Federal será histórica por diversos motivos, desde o fato de ser o primeiro presidente a fazer tal defesa ( Collor renunciou em 92 antes do fim do Processo, tentando manter os direitos políticos ), seja porque os olhos estarão voltados para o Senado. Claro que teremos perguntas crueis bem como as levantadas de bolas por parte de aliados.

Mas o fato de se chegar a este ponto dá uma ideia de como está ruim a nossa política. E de como precisamos melhorar para os próximos anos. Porque não é nada bom termos dois Presidentes perdendo mandato em menos de um quarto de século.

2 comentários: