Patrocínio

Patrocínio

quinta-feira, agosto 11

Tiro, Luta e... nada mais?

Mariana Silva chegou perto, mas ficou sem medalha...

Todos sabiam que seria difícil cumprir a meta - audaciosa - de ficar no Top Ten desta Olimpíada em nossa casa. Mas existem algumas modalidades onde estamos muito abaixo do esperado, até mesmo se compararmos com Londres 2012, deixando de lado o objetivo do COB. O Judô até agora, por exemplo está abaixo do que fizera na Inglaterra: tem o ouro de Rafaela Silva e só. Eram esperadas, ao menos, 4 medalhas no total e restam apenas mais 4 chances. E tem alguns atletas com chaves quase que intransponíveis. Mariana Silva chegou na semi final, apenas a segunda entre 10 e perdeu duas vezes, deixando escapar um Bronze.

Na Natação outro acumulo de resultados insatisfatórios. Esperava-se que o Brasil já tivesse conquistado duas, mas não tem nem a primeira ainda. Nem mesmo Etiene Medeiros conseguiu nada, tendo passado bem longe de sequer chegar na final. O revezamento 4x100 ficou em sétimo e outros nadadores não conseguiram nem chegar entre os 16. Temos Thiago Pereira nos 200m medley ( quatro estilos ) e Bruno Fratus nos 50m livres como maiores chances. Etiene ainda tem os mesmos 50m livres para tentar a sua medalha.

Outras decepções vieram no Tênis, onde Marcelo Melo e Bruno Soares - cabeças de chave número 1 do torneio de duplas - perderam para uma desconhecida dupla da Romênia. Melo é o líder do ranking enquanto que Soares é um dos 10 melhores. 

Tivemos, contudo, resultados que mesmo sem medalhas são merecedores de crédito. É o caso de 3 representantes da Esgrima, que estiveram a uma vitória de uma medalha ou de Hugo Calderano, igualando o melhor resultado da história, conquista pela lenda Hugo Oyama. 

Teremos outros chances, sobretudo na Ginástica, Vela, Vólei, Futebol, Handeibol e, pasmem até mesmo no Pólo Aquático, onde batemos a campeã mundial Sérvia. Mas atingir o Top 10 está ficando bem complicado. A menos que alguns esportes com pouca chance de ouro façam o que parece impossível.

Até aqui, está mais pesadelo do que sonho alcançar a meta do COB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário