Patrocínio

Patrocínio

segunda-feira, setembro 12

Bispo Dom Magnus emite nota sobre as eleições

Bispo Dom Magnus 


Prezados irmãos e irmãs da Diocese de Salgueiro,

Dirijo-vos minha palavra de Pai Espiritual neste momento em que nos preparamos para eleger, no próximo dia 02 de outubro, os prefeitos e vereadores que conduzirão os mais de cinco mil municípios brasileiros, para recordar-lhes que, à despeito do cenário de corrupção e instabilidade que o país atravessa, temos o dever cristão e o compromisso cidadão de não menosprezarmos as eleições nem a oportunidade de, nas urnas, exigirmos dos políticos novas posturas. 

Ademais, rogo-vos que se dediquem a promover uma participação popular irrepreensível, pautada na ética e no respeito à liberdade de escolha e de expressão do outro. Desta forma, asseguraremos que as eleições sejam destituídas de emocionalismos e, sobretudo, dos interesses partidários e escusos que têm frequentemente marcado o modo de fazer política em nosso país. Adotar valores e dinâmicas comportamentais que redefinam nosso universo político, é um modo eficaz de debelar a corrupção, frear interesses pequenos e grupais que prejudicam o bem comum, o equilíbrio social e econômico, as relações interpessoais e o testemunho que somos chamados a dar à sociedade. 

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB afirmou em nota sobre as eleições 2016 divulgada no último dia 13 de abril, durante a coletiva de imprensa na 54ª Assembleia Geral dos Bispos: “Sonhamos e nos comprometemos com um país próspero, democrático, sem corrupção, socialmente igualitário, economicamente justo, ecologicamente sustentável, sem violência discriminação e mentiras; e com oportunidades iguais para todos. Só com participação cidadã de todos os brasileiros e brasileiras é possível a realização desse sonho. Esta participação democrática começa no município onde cada pessoa mora e constrói sua rede de relações. Se quisermos transformar o Brasil, comecemos por transformar os municípios.”

Por fim, exorto-vos amados filhos e filhas, a meditar sobre vossa conduta como eleitores, a fim de que também vós não sucumbais às tentações da corrupção, aliciando candidatos ou negociando vosso voto como se sobre vossos ombros não recaísse também a coparticipação na construção do Reino de Deus. Ouvi as sábias e santas palavras do Santo Padre: “O dinheiro deve servir, e não governar! O Papa ama a todos, ricos e pobres, mas tem a obrigação, em nome de Cristo, de lembrar que os ricos devem ajudar os pobres, respeitá-los e promovê-los. Exorto-vos a uma solidariedade desinteressada e a um regresso da economia e das finanças a uma ética propícia ao ser humano” (Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, 58 - Papa Francisco).

Salgueiro, 12 de setembro de 2016

Dom Magnus Henrique Lopes,OFMCap.
Bispo Diocesano


Nenhum comentário:

Postar um comentário