Patrocínio

Patrocínio

terça-feira, abril 5

José Eduardo Cardozo portou-se como Militante e não como Defensor de Dilma na Comissão do Impeachment

Cardozo, o horroroso, não apresentou nada que se sustente...
Ontem o dia, na Comissão Especial de Impeachment, foi reservado para que a Presidente Dilma Rousseff realizasse sua defesa, como previsto em Lei. Coube ao ex-Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, atual ocupante da AGU - Advocacia Geral da União - ocupar o espaço na Comissão e defender a Presidente.

Defender em termos, porque o que ele fez foi tudo menos defender. Ele ficou fazendo ataques aos Processo, aos Deputados contrários a este e atirou para o lado errado, ou seja, para Eduardo Cunha. A defesa, na prática, resumiu-se a dizer que tudo nao passa de uma retaliação do Presidente da Câmara dos Deputados. Perdeu, é claro, uma grande chance de, verdadeiramente, defender Dilma.

A fala, parece-me muito claro, é uma senha para que a militância do partido saia às ruas repassando que tudo é culpa do Cunha. Acontece que Eduardo Cunha está com os dias contados na Presidência e, legalmente, o fato dele ser quem é em nada altera o Processo de Impeachment. Além disso, alguns Deputados que estavam indecisos saíram afirmando que agora estão fechados contra o Impeachment, devido ao tom agressivo - e em alguns momentos ofensivo - de Cardozo.

Ao que parece, o Governo já sabe que vai perder e quer apenas criar uma situação de que está sendo apeado do poder, para seguir insistindo na patacoada que até aqui tem usado. Não deu certo e nem vai dar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário