Patrocínio

Patrocínio

terça-feira, abril 12

O dia em que Senna deu banho em todo mundo na pista de Donnington Park


Na largada nem dava para imaginar o que aconteceria...
Senna soberano na chuva, uma rotina
Neste dia ele acertou em tudo, até na hora de trocar os pneus

Para muitos Ayrton Senna da Silva foi o melhor piloto de todos os tempos. Em suas 10 temporadas completas, ele venceu 3 e foi vice-campeão em outras 2, uma vez terminou em terceiro e em outras duas foi o quarto colocado. Venceu 41 corridas ( em 161 corridas onde largou ) e detinha a mais mais assombrosa possível de 65 poles, marca que apenas Schumacher conseguiu superar. E tudo isso numa época em que as temporadas tinham apenas 16 corridas. Este ano por exemplo teremos inacreditáveis 21...

Para quem não viu ele correr e acompanha a categoria desde 2000, esses números parecem nada, quando vemos Schumacher, Vettell e Hamilton dominando a categoria como fizeram neste período - com apenas Alonso e Raikkonnen se metendo entre eles - e os feitos de Senna menos importantes. Acontece que Senna viveu o fim da era do equilíbrio na F1 e o começo da supremacia de uma única equipe. Em 1987 existiam pilotos - de 3 equipes - que poderiam ser campeões. Quando ele venceu sua última corrida ( Austrália 1993 ) era apenas um piloto. Mas seu talento era maior do que isso. E 23 anos atrás ele demonstrou o quanto era grande...

Era o GP da Europa, disputado no travado circuito de Donnington, que pela primeira ( e também única ) vez recebia o circo da F1. As Williams dominaram - como fizeram em quase toda a temporada - os treinos e ficaram com as duas primeiras posições. A McLaren tinha motores Ford Cosworth, mas de uma geração anterior ao que equipava a Bennetton de um certo alemão... sim, ele mesmo: Michael Schumacher. Senna fazia o que podia, mas ficou em quarto no treino do sábado. Tudo conspirava para mais uma vitória tranquila de Prost, que jamais seria ameaçado por Damon Hill...

Eis que o mundo caiu em forma de chuva na madrugada, algo bem comum. Vários pilotos ali jamais tinha posto os pés em Donnington, mas Senna vencera inúmeras corridas ali, muitas delas com chuva. E isso seria fatal para os outros. Alain Prost - incontestavelmente um dos melhores de todos os tempos - jamais gostou de correr na chuva, Hill idem. Schumacher até que consegue bons resultados, mas o às em pista molhada é e sempre será Senna. 

Mais do que falar, melhor é mostrar o que foi aquela primeira volta, que de tao mágica passou para a história. E que, vejam que coisa, foi capaz de suplantar a de outro brasileiro, Rubens Barrichello que saiu da 12ª posição para assumir a 4ª posiçao, ganhando 8 lugares em uma única volta. Vejam o vídeo abaixo:


Depois dessa inacreditável primeira volta, Senna ainda faria muito mais coisas:

  • Marcar a melhor volta da corrida, passando por dentro dos boxes, quando esperava realizar uma troca de pneus e a McLaren não estava pronta;
  • Dar uma volta em Alain Prost, que se arrastava na pista molhada;
  • Vencer com uma volta em cima do segundo colocado. E com o carro horroroso que tinha;
  • Realizar trocas de pneus no momento exato.
Ao fim do Grande Premio da Europa, Senna era o líder do campeonato. Pela última vez em sua carreira, infelizmente. Prost e sua Williams de outro planeta ( na definição do próprio Senna ) iriam para o Tetra com muita facilidade. Ayrton conseguiria um muito comemorado vice-campeonato pelo carro e motor inferiores que usava. Iria começar uma nova fase na Williams em 94. Mas uma barra de direção quebrada na Curva Tamburello em Imola impediram tudo isso.

Mas neste dia de Abril de 93 ele Senna como nunca. E infelizmente nunca mais voltaria a ser. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário