Patrocínio

Patrocínio

terça-feira, novembro 1

Geraldo Júlio se fortalece com vitória e põe em xeque força do PT em Pernambuco. Ou duas maneiras bem diferentes de encarar um resultado

Duas visões distintas de um mesmo resultado, entre quem perdeu ( o ex-Prefeito João Paulo ) e quem venceu ( o atual prefeito Geraldo Júlio ):
João Paulo e o PT se acham vencedores, mesmo com uma derrota histórica
Geraldo Júlio que emerge como líder, dedicou a vitória ao povo da Capital
Existem vários modos de analisar um resultado. Vencendo ou perdendo esta análise determina futuras insucessos ou retornos por cima. A eleição do Recife neste segundo turno mostra que tem gente fazendo leituras fora da realidade. E curiosamente não são os vencedores que estão cometendo erros.

Antes de falar das leituras de vencedores e derrotados, um dado: o Prefeito Geraldo Júlio venceu em todas as regiões da Capital. Repito: em todas.  Abaixo o resultado geral:


Comecemos pelo lado vencedor, onde Geraldo Júlio disse que "essa é uma vitória de todos que moram no Recife". Ele, que há 04 anos era o poste de Eduardo Campos, agora é uma liderança pernambucana ao conseguir essa re-eleição. Ele poderia dizer que era o mentor da vitória, de que almeja novos voos e poderia desfazer dos adversários. Mas ele optou por falar sobre o futuro: "É uma vitória da cidade inteira, de todos que moram no Recife. Nós queremos governar para todo o Recife, unir todos os recifenses para vencer as dificuldades que o Brasil está passando. O meu desejo é de trabalhar ainda mais nos próximos quatro anos e quero agradecer essa oportunidade. Eu estou muito feliz e animado com esse resultado e quero honrar os recifenses com mais trabalho ainda". Geraldo Júlio conseguiu vencer apesar de Paulo Câmara e seu Governo mal avaliado. Porque isso aconteceu? Porque fez uma excelente Gestão a frente da Prefeitura e por isso venceu 

Já João Paulo e o PT, ao que parece, optaram por um caminho que - a meu ver - não condiz com a realidade, ao afirmar que "Essa foi uma grande vitória política num momento de golpe que estamos vivendo. Nós resistimos a um golpe. Nunca vi o partido tão unido como agora. Ele está unificado com a militância e os aliados. Nós tivemos que enfrentar aqui três máquinas: a da prefeitura, do governo estadual e do governo federal. Recife se tornou uma referência de resistência". Não me parece uma fala condizente com quem perdeu por quase 200mil votos, que perdeu sua terceira eleição seguida. Foi candidato a Vice em 2012 ( na chapa com Humberto Costa ) e perdeu para Senador ( Fernando Bezerra foi o eleito ). Além disso ao insistir na dicotomia do "golpe" colheu um resultado pífio para quem foi Prefeito duas vezes e muito bem avaliado. 

O que podemos tirar dessas declarações? Que Geraldo Júlio sabendo o patrimônio eleitoral que conquistou, fez o discurso da unidade, de agradecer ao povo e manter abertas portas com outros partidos. Já João Paulo mostra uma leitura distorcida da realidade, porque ele obteve poucos votos comparado ao político que é. Ou talvez um dia tenha sido. 

Vemos claramente que um venceu, mas preferiu o discurso da humildade enquanto que o outro perdeu e quis mostrar-se vencedor numa derrota fragorosa. Acho que essas duas visões deveriam ser mostradas aos futuros candidatos do que se deve e não fazer ao fim de uma eleição com quase 200mil de votos de diferente entre os candidatos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário