Patrocínio

Patrocínio

domingo, novembro 20

Rodrigo Maia, a Câmara, a falta de vergonha e o perigo de uma eleição indireta para Presidente

Maia está fazendo de tudo, mesmo, para ser re-eleito
Não sei que o amigo lembra, mas com o Impeachment não temos mais Vice-Presidente, ficando como primeiro substituto de Michel Temer o Presidente da Câmara dos Deputados. Cargo atualmente ocupado por Rodrigo Maia, do Democratas do Estado Rio de Janeiro, tão em evidência atualmente. Ele foi eleito logo após a cassação de Eduardo Cunha ( também do Rio de Janeiro ) para um mandato tampão, que segundo às leis vigentes não permitiria re-eleição. Mas sabem como são as coisas aqui no Brasil, tudo vale mais ou menos dependendo da situação.

Maia está atrás de apoios para conseguir o cargo por mais 2 anos. Poderia ser apenas apego ao cargo como tantos outros ( Guilherme Uchôa mesmo ficará 12 anos a frente da Casa Joaquim Nabuco ), mas tem mais do que isso. Primeiro porque ele permaneceria como, na prática, Vice-Presidente da Republica. Segundo porque um Processo que corre no TSE pode torná-lo peça fundamental em uma eleição que não acontece no Brasil a 31 anos: a escolha indireta do Presidente da Republica.

Tudo acontece porque o PSDB, via seu candidato Aécio Neves, entrou com um pedido de Cassação da Chapa vencedora, no caso Dilma e Temer. Como tudo é demorado, em 31 de Dezembro cai o que mais queria o Senador: assumir ele a Presidência. Nos dois primeiros anos, caso ocorra a cassação dos vencedores, quem assume é o segundo colocado, após tem eleição indireta, feita pelo Congresso. Por isso que Maia quer permanecer como Presidente da Câmara, porque teria muito espaço nesta eventual eleição indireta.

Caso realmente tenhamos uma eleição como a de Tancredo x Maluf em 15 de Janeiro de 1985, qualquer um poderá ser candidato. E quando eu digo qualquer um e qualquer um mesmo desde FHC até mesmo Lula. Basta reunir parlamentares em quantidade mínima para garantir o registro, o que os dois citados conseguiriam facilmente, diga-se de passagem. 

Mas até aqui eu falei de dois pontos citados no título do post. Pois bem, a falta de vergonha é que para conseguir votos Maia está prometendo - atenção - aprovar o perdão para todos os crimes de caixa 2. Isso mesmo, perdão TOTAL. Claro que essa é uma bandeira vergonhosa, mas que angaria muitos votos. E quando pensamos em Câmara e falta de vergonha o limite da baixaria parece nunca ter fim.

Portanto, é bom ficamos com os olhos bem abertos. E fazermos pressão em nossos Deputados ( alô Gonzaga Patriota e Cleuza Pereira ), porque tudo o que o Brasil não precisa neste momento é de mais lama no lamaçal sem fim em que nos metemos recentemente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário