Patrocínio

Patrocínio

domingo, novembro 27

Repercussão negativa forçou Temer, Renan e Maia a se mexerem. Ainda bem.

Visivelmente constrangidos, eles ouviram a voz da população decente
Eu não tenho certeza se podemos falar que um novo Brasil nasceu, mas posso garantir que o velho está cada mais enterrado. Quando é que veríamos um Presidente da Republica convocar uma Coletiva de Imprensa para, ao lado dos Presidentes da Câmara e do Senado, anunciar um acordo para enterrar uma proposta que protegeria justamente eles? Pois é, algo raro e impensável com o PT no poder, onde inexistiam Coletivas e sim monólogos de Lula e Dilma. Hoje foi diferente. Não sei, com disse antes, se temos de fato uma nova nação, mas que podemos estar no caminho disso é inegável.

Além do compromisso de que não teremos anistia, os três agora afirmam que defenderão que o projeto das 10 Medidas do Ministério Público seja aprovado do modo que foi pensado e ratificado pelas mais de 2 milhões de assinaturas. Alguns poderão dizer, com razão, que Temer fez isso para tirar de cima de si as duvidas que pairam na crise Calero/Vieira. De fato é muito provável que essa seja a intenção principal. Mas mesmo que seja isso, o que ele fez hoje é inédito para mim. Ele, bem mais do que Rodrigo Maia e Renan Calheiros, entendeu que é preciso dar um basta na canalhice que estava em curso. Ele entendeu que a Sociedade não aceitaria aquilo e, óbvio, resolveu capitalizar em cima. 

Agora temos certa de que não passará a votação de anistia aos crimes de Caixa 2 - e o próprio Temer pode vir a ser condenado por isso, diga-se - e os Presidentes das duas casas do Congresso comprometeram-se a coibir que isso sequer possa chegar nas mãos do Presidente Temer. E se chegar, ele garante que vetará. O Brasil não ficou mais honesto com essa coletiva. Mas serviu para mostrar ao povo o poder que temos. Tivéssemos consentido e tudo passaria na maior pelo Congresso e Temer sancionaria. Não estamos mais decentes, apenas não ficamos mais sujos. E só por isso, é que eu louvo a atitude do 3. Mesmo que de forma forçada, eles fizeram o que era melhor para o Brasil. Algo raríssimo em nossa história. Recente ou não...

Agora é manter a pressão para que outras barbaridades não passem. Porque, se depender apenas deles, a falta de vergonha segue a mesma. Tenham plena certeza disso...

Nenhum comentário:

Postar um comentário